17.9.07

Meu amor, uma hipérbole

Porque quando penso nele, me sobe um calafrio horizontal por toda a coluna vertebral e me compele a curvar minha espinha diante da possibilidade de um dia poder ver sua admirável silhueta. Contenho-me. Porém é impossível evitar os pensamentos que me encharcam o cerebelo. Penso na minha figura ao lado da dele. Ao lado não, em cima, escutando sua respiração e sentindo o cheiro da exalação de seus pulmões – uma mistura de gás carbônico e vapor de dejetos repelidos pelo sangue. Um cheiro indescritível, da ternura maior que existe nesse mundo. E penso nas nossas salivas se misturando. Dizem que este líquido transparente segregado pelas glândulas salivares é insípido e serve apenas para fluidificar os alimentos e facilitar sua ingestão e digestão, o que apenas comprova que as pessoas não têm sensibilidade para sentir nem mesmo o sabor da própria saliva, e pior ainda, falta-lhes a necessária sutileza gustativa para se deliciar com o gosto da saliva do outro. Ao se misturarem, as salivas adquirem um paladar inefável, comparável apenas ao néctar mitológico. Um mistério enzimático, como outros do nosso corpo.

Meu amor por ele é por si uma hipérbole, das maiores imagináveis. É algo simplesmente inesgotável e ascendente.

8 comentários:

Osc@r Luiz disse...

Hahahaha!
Querida, está indo justamente ao lugar da comédia e do inusitado. Por isso só tem encontrado lá coisas assim. Hahahahahahahh!
Vou te contar dois segredos: um é que eu separo as coisas. Tenho outro blog, chamado "Flainando na Web". É lá que eu coloco as coisas sérias, relevantes e com conteúdo mais aprimorado... Daí, realmente, não ia achar nada assim no By Osc@r Luiz. Está escrito lá no "Leia a Bula" do blog. O segundo segredo (que não é de Fátima)é que como você já é reincidente no meu blog, foi gentil e tem um blog com um conteúdo interessantíssimo, vou linkar você (se não se importar, é claro), aos meus dois blogs. Assim, não perco mais o caminho. E numa próxima visita sua, se achar que mereço, se coloque lá no meu mapa da entrada. É lá que está maioria dos meus amigos e eu espero sinceramente que você se junte a eles, o mais breve possível.
Muito obrigado pela sua paciência e insistência.
Um beijo e uma boa semana!

Osc@r Luiz disse...

Pronto!
Está linkada.
Agora pode me processar se quiser...
Rssss.
Beijo!

Adroaldo Bauer disse...

E costuma ser assim, quando tão bom, até muito após.

Girassol disse...

"Meu amor por ele é por si só uma hipérbole, das maiores imagináveis. É algo simplesmente inesgotável e ascendente."

O amor só faz sentido quando é assim, ascendente...

Beijo.

branca disse...

Só posso te dizer que to salivando até agora depois de ler esse texto. Muito bom viajar na profundidade de coisas tão inesgotáveis.
Beijo grande

Edna Federico disse...

Um amor intenso, profundo e inesgotável....lindo!
Beijo

BABI SOLER disse...

Quem nunca sentiu isso tudo por alguém está perdendo...

Ta Pá disse...

citando teu comentário sobre Rosbife:
"Gente, como assim?
huhuhuhu"
quando vc falou da saliva, ela deixou de ser saliva e para mim se tornou ..."suculencia" (hahahaha). Concordo em alguns pontos contigo, porém, não se engane, não é o sabor da saliva ou mesmo da outra pessoa que esse que você descreveu. esse é o sabor dos teus sentimentos, do teu amor por essa pessoa, ou pelomenos é assim que acontece comigo(logo é bem provável que eue steja falando merda hehe).
excelente texto.