20.6.07

Ela é minha e eu sou dela



Sabe-se lá o pó de que será composta minha vida em alguns anos.

O que importa é que eu nasci para a poesia e ela nasceu para mim.

O que importa é que ela me possuiu sem nem me dar direito de escolha e eu, abobalhada, sorri para ela como se estivesse sendo agraciada, e fui.

Desde então ela me carrega nos braços, e eu só vejo a vida pelos olhos dela.

5 comentários:

MJ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
MJ disse...

olá Bina
parabéns pelos textos e pela estética do seu blog.
Convido-a a visitar http://holocausto-shoah.blogspot.com/
cumprimentos

Fernanda Passos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fernanda Passos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fernanda Passos disse...

Sabe que eu tenho esse mesmo sentimento? Me identifiquei muito com isso aqui. ;)