11.6.08

Violenta calmaria

Violenta
Vinha
lenta
lenta
lenta,
a calmaria.

Via,
lenta
lenta
lenta,
a estrada fria.

A inércia, antes, me aprazia,
agora anseio ventania.
Venta
lenta
lenta
lenta...

Fui e me esqueci:
volto algum dia.

5 comentários:

Rodrigo Roma disse...

HAUIHIUHIAHAIHAIHAIHAUIHA

Iááááááá pra vc tb!!!!

HAIUAHAIUHAIHUIHUIAHUIAHUIHUHU

Cosme Faé disse...

Me deliciaria com mais
posts por dia :]

rsrs

Bjocas, adoro tu! :]~~

HERCÍLIA FERNANDES disse...

Olá Bina.

Adorei o texto. Jogo poético muito bem elaborado de sinestesias, assonâncias e anáforas.

O eu-lírico confere belos sentidos subjetivos às sensações, aos sentimentos e ao extravasamento.

"Não demore muito para voltar", ok?
Precisamos de sua poesia.

Abraços,
de sua amiga e admiradora estética.

Hercília.

Cacá disse...

Você escreve cada dia melhor. Aí me pergunto do que seria feita a sua vida sem a poesia...

Cacá disse...

Aí você podeia deixar um "oizinho" no meu blog também!

Mas eu não ecrevo como você...
Na verdade, sou uma ladra de escritos!

Beijinhos!

www.blogodancer.weblogger.net