4.4.08

De repente

E de repente
da gente fez-se nada,
e o nosso nada
virou tudo.
Um tudo roto,
moribundo:
onde o todo
é quase mudo.

7 comentários:

Webcam disse...

Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If possible gives a last there on my blog, it is about the Webcam, I hope you enjoy. The address is http://webcam-brasil.blogspot.com. A hug.

Carmim disse...

A presença faz-se ausência, o amor faz-se dor, o todo faz-se vazio...
...felizmente o contrário também é verdade, e isso dá-nos esperança.

Um beijo.

www.omeugirassol.blogspot.com
www.vivovermelho.blogspot.com

Luiz Lianza disse...

Uma bela poesia, boa de recitar e com palavras realmente significativas e fortes. A mágica da poesia bem clara, uma filosofia complexa e profunda bem explicitada em menos de 50 palavras. Muito bom, meus parabéns.

Edna Federico disse...

é...às vezes o nada vira tudo mesmo!!!!
Beijo

B. disse...

perfeito..sem palavras aqui... ;**
beijos
B.

Natália Nunes disse...

quase não me serve, não mais, não.


beijo!

Ana Carolina Braga disse...

Bina, estou de queixo caído...Que belos versinhos, emociona, arrepia e nos deixa iluminados. Parabéns telentosa menina!

Abraços!