10.8.07

Abstinência



Sinto-me em desespero
meio a este espetáculo
inesperado - impostergável - não-saudável
Sei que minha vida
eu devo a você
Criatura distante
me dá um gole
da tua música
Deixa eu te beber
pra me completar
Eu não espero mais nada
eu só preciso
Eu te imploro
Eu te necessito
Me falta a tua
melodia - música - ritmo - valsa - harmonia
Me dá cerotonina
Me leva - abraça - arrasta - carrega
pois longe de ti
me esgota alegria
Nutra-me com versos
e cantigas diversas.

4 comentários:

Hugo disse...

Muito bom!!!
parabéns, vc escreve muito bem

Hercília Fernandes disse...

Olá Bina.

Seus versos são lindos... desejo-lhe que essa criatura cósmica, musical, sagrada... nunca lhe abandone, seja na tarde e/ou madrugada.
Abraço, Hercília F.

Fernanda Passos disse...

Lindos versos de amor/saudade/pedido.
São verdadeiros acordes para quem ler.
Bj.

Perdição disse...

Como disse a Fernanda!!!!belos versos....tao belos que soam musicalmente......posso imaginar um sublime choro tocado por Pixinguinha ao lê-lo. Pois ambos me trazem a lembranca de amores e desejos...vividos ou queridos!!!

Gosto sim de minha terra!!!!é algo que vem de dentro...amo essa cidade....esse habitat....esse cerrado!

Obrigado pelos elogios!!!eles são recíprocos!!!como te disse anteriormente quero deglutir seu blog por inteiro!!!