2.10.07

Irresolução


Distingui ao longe um casal a caminhar em linha reta, em silêncio. Acompanhei com olhos observadores o andar calado daquelas pessoas de mãos entrelaçadas e notei a alegria mais fúnebre que presenciei na vida: o olhar cabisbaixo de um, o rosto inexpressivo de outro, os passos largados de ambos e o ar pesadamente blasé, de extrema apatia e desinteresse; seus passos desenhariam um blank verse, se pudessem. Enxerguei - sem ver - as atas que os amarravam, os agarravam, os apegavam insistente e implacável, mantendo irrevogável e sólida uma constante incerteza.


9 comentários:

Girassol disse...

Infelizmente existem pessoas que caminham uma vida lado a lado sem deixarem de ser estranhos um para o outro...

Beijo.

Edna Federico disse...

Concordo inteiramente com a Girassol...pessoas vivem uma vida inteira e não se conhecem, não se entendem, mas não conseguem desatar os laços.
Beijos

Natália Nunes disse...

Olá, Bina!

Cheguei aqui pelo blog da Fernanda.

Já adorei de cara o layout meio pop art, divertido :D

Presenciei essa imagem algumas vezes, quando os anos acabam fazendo de mãos, grilhões.

;)

Otávio B. disse...

Relações de cadáveres é algo complicado de se conceituar, mas não de se encontrar...Dois zumbis que morreram um para o outro, lado a lado, vivendo só por viver e implorando pra que possam descansar em paz, e de preferencia bem longe um do outro...Isso é triste e deve doer muito...Ahh esses tempos modernos...

Beijão

Doutroladodomar disse...

Até que a morte os una...Beijo , querida!

Marquês disse...

Vinde visitar-nos...

Silvia Madureira disse...

Que bom se em vez de um silêncio, um distanciamento (embora fossem lado a lado) estivesse o diálogo no meio dos dois. Porquê que não se ouve a voz do coração?

Beijo

Murmurios disse...

Esboços amarelecidos pelo tempo
De um passado ainda presente

Com a quimica das minhas lágrimas numa bela melodia
O tinteiro da melancolia sentida enchi

Beijos amiga Bina

Microscópio Eletrônico disse...

Gosto de algo que está em voce mas não é voce.Te esqueço como os pequenos esquecimentos diários, mas não dou importancia, sei que meu coração sempre lembra do que é importante.Gosto de andar de mãos dadas,sentir a textura, o calor, estar plugado no seu ser, me deixara levar calmamente pra dentro, não sou mais eu, mas o seu momemnto sou eu.Gosto de te ver sorrir, de te ouvir falar. È teu silencio que me assuta, é quando sinto que te perco, é quando vejo que te amar é uma junção de momentos, com emendas e fissurras, tu és o vento, calmo a empurrar os grãozinhos Duna á cima, e na tempestade enérgico e violento a mostrar quanto frágil e pretencioso sou eu.