7.10.07

Casualidades


E se eu disser que não estou pronta para desconstruir a massa sólida que meestrutura para sustentar-me? Seria crime? Pois eu assumo, com todas as letras e palavras requisitadas, que não tenho coragem de me despir de mim mesma e assumir uma nova forma, boa ou ruim, porém nova. Eu não tenho coragem de largar o meu apoio e me ver reduzida a nada ou exposta ao inesperado iminente. Eu não tenho coragem de quebrar o firme para obter novidade, qualquer que seja. Esses dias têm sido extraordinários, e por hora, prefiro manter-me em silêncio.

4 comentários:

O Profeta disse...

...Às vezes é preciso...voar...


Doce beijo

Natália Nunes disse...

Mas é preciso tanta coragem para se entregar à covardia!

Eu tb sou criminosa assim...
:)

Bjo.

Dr. Ricardão disse...

No silêncio as idéias aparecem e as atitudes se definem...

Edna Federico disse...

Digo que tudo tem seu tempo...
Beijo